terça-feira, 28 de agosto de 2007

Pinheiro Araucária: plante, não lamente!

É comum a gente ouvir, ou ler, que os pinheiros Araucária estão acabando em nosso país, principalmente no Sul, com informações de que em breve ele estará apenas nas lembranças dos mais velhos. Esse tipo de informe, inclusive que os órgãos ambientais proibem o seu corte e dão uma certa idéia ou sugestão de que plantar pinheiros não seria conveniente, grassa pela mídia ou pelo sistema boca-a-boca. Estaria eu por acaso errado nessa postura?

Tempos atrás, no meu clube de Rotary, o RC Curitiba, durante as comemorações dos 101 anos, resolvemos encetar uma campanha de plantio dessa árvore-símbolo do Paraná. Como tinha feito mudas em minha chácara, acho que perto de duas mil unidades, coloquei à disposição de quem quisesse uma quantidade razoável para aquisição, com renda destinada a obras assistenciais desenvolvidas pelo meu clube. Mais de mil mudas foram adquiridas e plantadas.

Sobraram, depois de série de doações a muita gente, umas 400 unidades, que forneci ao setor ecológico da empresa de saneamento e águas do Paraná, a Sanepar. Claro que desejava que elas fossem plantadas ao redor do lago Passaúna, onde se localiza a minha pequena chácara, mas recebi a informação de que ali não poderiam ser usadas devido a uma análise da Emater, sobre a sua incompatuibilidade de solo. Fiquei um tanto surpreso, pois nasci ali e ao redor de todas as áreas, antes de ser alagado o rio Passaúna para servir de abastecimento a Curitiba e área sul, havia e há milhares de pinheiros Araucária produzindo e embelezando a localidade toda. Enfim, doei à Sanepar e ela deve ter plantada as quase 400 mudas de que dispunha.

O companheiro Rubens Habitzreuter trouxe-me este ano uns cinquenta quilos de pinhões, de Santa Catarina, aqueles pinhões tardios e lá estou, de novo, semeando pinheiros Araucária. Não desisto por uma única razão: é a nossa árvore-símbolo, cresce lindamente e não espanta pássaro algum, ou esquilos, ao contrário dos eucaliptos e dos nefastos (mas economicamente rentáveis) pinus, nos quais pouquíssimas aves pousam. Então, ousei criar uma campanha em meu meio comunitário: não lamente, plante. Preparei vários saquinhos com pinhões quase brotando e os distribuí a amigos, para que eles fizessem o mesmo que eu, ao invés de lamentar o fim ou o desaparecimento das Araucárias, que eles ou seus amigos e conhecidos plantem.

Então, meu convite a todos é esse: não lamente, plante. Com isso, faremos a diferença e resgataremos a imagem do nosso símbolo. Quem quiser ajudar nisso, nessa campanha, que me contate.

8 comentários:

willian disse...

Olá...

Gostaria de saber como adquirir algumas mudas de pinheiro araucaria para plantar na minha chácara na região de contenda.

Grato.

contato:williansilvas@ibest.com.br

janinha disse...

Eu tenho um pinheiro auraucaria, gostaria de saber como posso tirar mudas. obrigada

janinha disse...

Eu tenho um pinheiro auraucaria, gostaria de saber como posso tirar mudas. obrigada

Anônimo disse...

Na época das festas juninas existe abundancia de pinhão em quitandas,e outros posso usar estes "pinhão"
para fazer mudas? requer algum cuidado?

sds,
contato
silvestreperez@petrobras.com.br
silvestre.esteves@hotmail.com

Miecislau Surek disse...

Olá, admiradores do Pinheiro. Bom, para fazer mudas, o mais fácil mesmo é com pinhões, colocando-os de bico, depois de molhados por algumas horas, inclinado, num saquinho com terra. Em menos de 10 dias surgirá o broto. Depois que tiver uns 15 cm, replantar em local desejado.

Zorayda disse...

Olá, moro em Paraty, mas sou de Curitiba. Adoradora nata de pinhões esses dias comprei aqui uns que vem de Cunha/SP, muito saborosos e alguns deles acabaram brotando. Como faço para plantá-los? Não gostaria de perdê-los. Muito obrigada desde já...

Zorayda disse...

Sr. Surek, acabo de ver no final dos comentários a maneira de plantá-los. Desculpe-me pelo incomodo. Boa sorte com sua camapanha...

Anônimo disse...

Boa tarde!

Realmente o Pinheiro do Paraná está em vias de extinção, porém a mesma lei que proteje esta ávore também a condena, pois se proibindo e tornando crime o corte da Araucária, ninguém quer saber de ter uma árvore destas em seu terreno. A solução seria tratar o Pinheiro com se trata o Pínus e o eucalípto, que são plantados para consumo. Imagine se no lugar do Pínus tivessemos pinheiros? em trinta anos no máximo teriamos uma exelente madeira,bem melhor do que Pínus e Eucalípto, mas a lei é muito rigorosa e digamos "suicida" com os pinheiros.
A respeito da bacia do Passaúna, concordo que aquela região, é sim, bôa para Pinheiros pois os mais antigos moradores, como meu avô João Tozato, diziam que se podia passar de um Pinheiro ao outro de tanto que havia lá. E não é de hoje, pois quando esse meu avô junto com meu pai e tios extraíam argila do vale do Passaúna, era comum encontrar nós de Pinheiro a 6,7 ou 8 metros de profundidade, assim como em certa ocasião fora encontrada uma pinha a vários metros de profundidade, mas como não tinham conhecimento na época, deixaram estragar. Quer dizer, os pinheiros estão lá a centenas de milhares de anos e como assim não dá para plantar lá? Quais o verdadeiro interese em dizer que no Passaúna não dá para plantar Pinheiros?

Saudações

Flademir Henrique Tozato
fhtsuper@yahoo.com.br