terça-feira, 17 de julho de 2007

Procura-se um estadista paranaense

Quando lemos e tentamos acompanhar os acontecimentos em nossa cidade, nosso Estado ou em nosso Brasil, dirigimos os nossos pensamentos para épocas outras em que havia personalidades conhecidas por todos e colocadas na posição de estadistas. Ou seja, pessoas que iam além de seus limites ou posições pessoais quando se tratava de coisa e causa públicas.

Claro está que minha memória vai falhar com respeito a alguns nomes, mas se pusermos nossa lembrança a funcionar um pouco vamos encontrar líderes paranaenses como Bento Munhoz da Rocha Netto, Pedro Viriato Parigot de Souza, Francisco Accioly Filho, Ney Aminthas de Barros Braga, José Richa, Othon Maeder, entre outros, que seguramente poderiam figurar como estadistas brasileiros.

Das personalidades ainda vivas, ouso mencionar alguns nomes que poderiam figurar como verdadeiros estadistas atuais, embora estejam presos, acuados e inutizados dentro do caótico sistema político-partidiário, manipulado pelo poder econômico: Euclides Scalco, Osmar Serraglio, Rubens Bueno, Alceni Guerra, Gustavo Fruet. Tenho esperanças de que eles, e mais alguns outros, possam entrar na galeria de estadistas que o Paraná merece ter, se conseguirem sair das amarras partidárias em que se encontram.

Não estranhem que não incluí os senadores atuais, os últimos governadores, alguns prefeitos de cidades maiores ou menores na minha lista; calculo que eles tiveram inúmeras oportunidades de serem vistos como estadistas mas resolveram tratar dos seus sonhos apenas pessoais, poucas vezes em nome da comunidade paranaense. Infelizmente.

No resto, nossa esperança é de que possamos um dia, não muito distante, espero, descobrir que temos, finalmente, gente nos honrando e se situando como estadista...

Um comentário:

Maria disse...

Parabéns pela coragem meu caro.
É preciso frisar muito bem: Existem os que tiveram todas as oportunidades para mostrar vocação estadista e no entanto...vaia pra eles... agiram em causa prória.