domingo, 3 de junho de 2007

Uma temporada de aventuras familiares nos USA

1 - Primeiro, levei um tombo na frente de uma das casas onde entregava jornal: marcando entrega na lista, não vi a escadinha entre a calçada e o jardim e, graças aos jornais que estavam na bolsa de jornais, o corpo foi amortecido na queda. O que não impediu, claro, de dar uma raspada no joelho esquerdo e no dedinho mínimo da mão direita, onde sangrou e acho que uns dois ou três jornais levaram a marca do 'dar o sangue' no trabalho matinal de entrega de jornais no lugar da Phia (que foi numa excursão a Portland, pousando no Zoo de lá). A sensação entre o início e o final da queda, naquele milésimo ou quase um segundo, é assustadora. Não queiram me imitar...

2 - Faltou comida, bebida e otras cositas más em Pendleton, neste final de semana: uma penca de jovens da cidade e da região estava concluindo o Hight School. Imaginem uma cidade como Pendleton tendo mais de 200 graduados. Foi festa em cada quadra. Fomos ao lunch nos vizinhos ao lado, cujo filho estava se graduando. Pessoal amável, a maioria tentando ser agradável com o seu spanglish, um bom ambiente e uma boa cerveja, além de carnes de todos os tipos, saladas que vcs conhecem e apreciam. O pai do menino é quem me convidou para pescaria na última quarta-feira, gente fina, quando ele mais pescou que eu, pois perdi uns 5 peixes bem naquela hora de 'embarcar' os bichinhos. Os peixes, uns 8, na maioria eram do tipo que eles chamam aqui de Rainbow Trout, na verdade são trutas, uma carne deliciosa. Ele não quis os peixes, então sobrou para nossa degustação. O Sam considera esse um dos melhores peixes daqui. Parece que vamos nesta segunda de novo pescar, preciso confirmar neste domingo com ele.

3 - As meninas aqui são uma graça, dormem antes das 21 horas, acordam normalmente e vão às atividades. A Paula fala bastante em português, mas às vezes não quer memorizar nada disso e pede que a Cla ou a Phia 'traduzam". As aulas delas devem estar acabando, mas terão tarefas de férias. A Paula foi anteonem dormir na casa de uma das suas amiguinhas, pela primeira vez. Levou um susto quando sua mãe disse quea amiguinha tinha a convidado para dormir na casa dela. Foi toda feliz.

4 - Acho que devo ter visto até agora mais de 80 DVDs aqui. No quarto onde estou há TV com DVD player, então tenho me esbaldado em ver filmes. Tiramos normalmente por semana de 10 a 14 filmes da Biblioteca/Library, alguns verdadeiras obras-primas, alguns com legendas, outros sem, então estou praticando meu spanglish. Estes dias alugamos o Inside Man, que é muito bom, o Infamous (que retrata como se comportava o famoso escritor Truman Capote) e um dos últimos filmes da Emma Thompson, cujo nome não me vêm à memória nesta madrugada aqui, em que ela é escritora que costuma matar sempre no final os seus protagonistas e, nesse filme, o protagonista sabe do roteiro e do costume de matança no final, pede a ela um fim diferente, honrado. Enfim, um super filme. Vi também aquele filme do Cidadão Kane, muito bom rever o dito. Conduzindo Miss Daisy é outro que acabei de rever. A Clarissa tem muitos filmes também que as meninas deverão escolher para serem doados à Biblioteca, pois de tanto que a gente aluga de graça acha que outros clientes da cidade mereceriam mais oções de filmes. Peguei para estes dias na locadora aquele filme FUR, com a Nicole Kidman, vou vê-lo hoje.

5 - Bom, ficar estes quarenta e poucos dias aqui até que tem sido uma boa. Claro que o pensamento está jogado e ativo nas coisas do Brasil, com alguma troca de textos com Cassiano e Emanuel, um dos usuários da Rede Polska, sobre ligar ou não a ADSL dali, e pagamento de alguns compromissos. Já fiz uns quatro artigos para aquele sonhado livro de passagens jornalísticas ou pessoais nestes 45 anos de profissão. Estou vendo aqui as ofertas de computadores, laptops, e há uma oferta daqui de um laptop de 14.1 por menos de 430 dólares, e 1 GB, 80 GB de memória, e talvez a gente compre para que eu ou a Cristinha levemos ao Brasil, para uso ou para repassar a quem queira comprar. Já comprei aqui uma cafeteira, por US$ 9,99, boa, e estou usando, e mais um triturador pequeno daqueles que costumamos usar aí para fazer geléias e otras cositas más.

6 - Estou raspando algumas portas para serem pintadas na casa. Nos primeiros dias estava difícil, mas acho que agora os braços e as pernas estão exercitadas para o trabalho então vai ir mais rapidamente. Parece que o Sam e Cla vão contratar um pessoal para pintar a casa, mas as portas e janelas ficarão a nosso cargo, pois esse tipo de mão-se-obra aqui é super alto. Numa das casas vizinhas, perto da praça, a dona chegou a pagar 5 mil dólares pelo trabalho, sem contar com algumas janelas. Claro, as casas são grandes, tem três lances normalmente com o porão. Enfim, estou raspando agora as portas da garagem e devo entrar nas janelas nesta semana. O Sam foi buscar alguns equipamentos de pintura (compressor, etc) na casa do Andrew e quando estiverem devidamente raspadas, iremos pintar as portas e janelas.

7 - No mais, vamos esperar a chegada do nenê, que anda se mexendo na barriga da Cla para entusiasmo da Phia, ela e Sam foram ontem ao Hospital em Walla-Walla para conhecer suas dependências e mais detalhes, e mais a chegada da dona Cristina, que anda meio sumida com seus compromissos em Curitiba e Faculdade e por vezes a gente pode trocar algum papo.

Abraços a todos, bom domingo.

Um comentário:

Maria disse...

Sussu
Grande, meu caro!!! grande sacada essa do blog. E eu me matei para fazer um site. Ficou pesado demais,digo, o clima, e parei.
Tá muito bacana.
Escrevi um comentário enorme e no mandar, perdi. vejamos agora.
Beijo pra sua adorável família.